Remuneração variável: o que é, como fazer e calcular?

04/12/2017
Por cbbr

Nós sabemos que todo profissional recebe o seu salário no final do mês pelos serviços prestados para uma empresa. Mas, este tipo de pagamento não é o único. Existe também o que chamamos de remuneração variável.

É uma prática bastante comum em diversos tipos de empresa e tem muitas vantagens para todos. Nos dias atuais em que a versatilidade dos empregos está cada vez maior, não é de se admirar o surgimento de novas formas de pagamento também.

Da mesma forma, esta é uma alternativa para manter a motivação de profissionais mesmo depois de anos de trabalho na mesma empresa. Esta qualidade impacta bastante o sucesso de qualquer negócio.

No artigo de hoje nós vamos falar sobre remuneração variável, definição, como fazer e como fazer o cálculo correto desta conta.

O que é remuneração variável e quais são os tipos?

Remuneração variável é um termo utilizado para denominar um conjunto de benefícios pagos ao profissional atrelado ao salário fixo que ele já recebe pelo trabalho que executa.

Esta remuneração depende da performance, do desempenho do profissional. Quanto mais ele se destacar na área em que atua, mais chances ele terá de conquistar uma remuneração extra.

Para isso, são estabelecidas metas e cabe ao colaborador batê-las. A ideia é estimular o profissional a fazer o que tiver ao seu alcance para bater as metas e conquistar o prêmio que foi estabelecido.

Existem alguns tipos de recompensa para a remuneração variável. São eles:

  • Comissões e bônus
  • Gratificações voluntárias
  • Campanhas de incentivo
  • Remuneração por competências e por habilidades
  • Remuneração estratégica
  • PPLR (Programa de Participação nos Lucros ou Resultados).

Destes citados acima, alguns são mais utilizados do que outros. São exemplos as comissões, bônus e programa de participação nos lucros. Todos estes tipos de remuneração variável são regulamentados na lei.

Bônus e comissões

O sistema de remuneração variável através de bônus e comissões é pago sob a forma de múltiplo de salários. A referência base atual é de 4 salários para a gerência e 6 salários para a diretoria.

O bônus tem uma característica que o diferencia da comissão. Enquanto o bônus é definido em um período específico, como no final de um projeto, por exemplo, a comissão é alinhada ao desempenho constante.

É muito comum vermos a aplicação de comissões em trabalho com vendas. Quanto mais vendas o vendedor conseguir, mais comissões ele ganha e estas também pode ser de acordo com o valor da venda alcançada.

Já o bônus é um valor único, que pode ser aumentado ou diminuído, mas que pode ser compreendido como um troféu ofertado no final de cada etapa de um processo de trabalho executado com sucesso.

Programa de participação nos lucros (PPL)

O programa de participação nos lucros também é um tipo de remuneração variável muito comum. Conheça algumas características dela:

  • É regulamentado por lei (10.101/2000)
  • Deve atingir a todos os funcionários
  • Cada funcionário ou grupo deles pode receber um valor diferente. Porém, tudo deve estar muito bem atestado e registrado
  • Exige a criação de uma comissão interna para definir todo o processo
  • Não exige aprovação do sindicato responsável pelos profissionais, devendo haver apenas comunicação da existência da remuneração e ocasional participação dele na comissão
  • Está isenta de contribuições previdenciárias e trabalhistas

Outro tipo bastante conhecido de remuneração variável, mas não tão comum quanto às citadas acima é o chamado Stock Options. Nesta situação, o funcionário pode adquirir ações da empresa em que trabalha.

São distribuídos estes documentos que sugerem a compra entre aqueles funcionários que demonstraram desempenho suficiente para proporcionar o crescimento da empresa.

Esta também é uma tentativa de reter talentos uma vez que, para que tal documento tenha validade, é preciso ficar um tempo determinado dentro da empresa.

A remuneração variável e as metas

Um fator muito importante a ser considerado na remuneração variável é a questão das metas. Não é preciso falar que as metas definidas devem ser passíveis de serem alcançadas.

Ou seja, na hora de definir os objetivos da empresa que devem ser perseguidos pela equipe de profissionais, é preciso criar algo possível e que esteja dentro do que cada um consiga realizar.

A empresa não agindo desta forma, não há sentido em criar uma política de remuneração variável. Qual seria o estímulo para o funcionário em tentar alcançar uma meta praticamente impossível?

As metas devem ser também desafios. Não podem ser fáceis demais, mas não podem ser tão difíceis a ponto de se tornarem inviáveis. Além disso, é preciso ter um prazo definido e as regras devem estar acordadas entre as partes.

É por isso que este tipo de remuneração é considerada de curto prazo, por possuir datas estabelecidas.

Como e quando fazer a remuneração variável?

Para saber como fazer a remuneração variável é preciso seguir algumas etapas simples, porém essenciais para o sucesso da implementação desta maneira de pagamento.

A primeira etapa consiste na definição do que será feito. É uma visão geral que se deve ter dos indicadores escolhidos, métodos de acompanhamento e avaliação etc.

A segunda etapa consiste na criação das regras. Neste momento é que deve ser definido o percentual para cada trabalhador, as metas que deverão ser alcançadas, os prazos, quem pode participar e como será o pagamento.

A terceira etapa é o acompanhamento do que foi estabelecido. Esta avaliação deve ser feita antes, durante e depois da implementação deste tipo de remuneração variável. É importante definir as ferramentas eficazes para ajudar na execução deste trabalho.

Todas estas etapas devem ser seguidas e acompanhadas por todas as pessoas interessadas no assunto, sempre se baseando na lei que sustenta esta possibilidade de remuneração.

Existem algumas situações que exigem que a remuneração variável seja desenvolvida. Veja a lista a seguir:

  • Necessidade de alavancar resultados
  • Estímulo e motivação de funcionários para aumento da produtividade
  • Valorização dos funcionários de acordo com seu ramo de atuação
  • Fortalecimento dos valores da empresa
  • Necessidade de manter na empresa os grandes talentos devido ao risco de perder os que existem e dificuldade de encontrar outros para substituí-los.

Como calcular a remuneração variável?

Existem duas maneiras de calcular e dividir a remuneração variável entre os funcionários. Saiba mais:

  1. Distribuição

Na distribuição, o saldo líquido que a empresa alcançou em determinado período é dividido entre os funcionários. O valor que cada um irá receber depende da sua participação e relevância do cargo dentro do negócio.

É por isso que profissionais que ocupam cargos mais altos ganham valores maiores. Presume-se que quem tem uma função mais elaborada, carrega também mais responsabilidades e riscos. E isso influencia na distribuição.

  1. Valor alvo

Quanto a este tipo de cálculo, há um número específico que a empresa espera bater. Ao alcançar este número, todos os profissionais que participam do processo ganham a sua parte de acordo com relevância do cargo.

A diferença para o tipo citado acima, distribuição, é que no valor alvo, há um valor determinado. Caso haja o alcance dobrado da meta, este aumento também pode ser repassado para cada um dos colaboradores.

Esta também é uma maneira efetiva de orientar o desempenho individual de cada profissional. O valor alvo serve tanto para grupos quanto para um só colaborador.

Como fazer o acompanhamento do desempenho

Depois que for estipulado e escolhido o melhor método de remuneração variável é hora de acompanhar o andamento de todo este processo. Para isso, é preciso fazer uso de ferramentas que facilitam este trabalho.

São mecanismos que permitem classificar cada funcionário de acordo com o desempenho de cada um durante aquele período. Quem trabalha diretamente com vendas tem mais facilidade em acompanhar este sistema.

As ferramentas permitem fazer uma espécie de vistoria de tudo que está acontecendo desde o começo deste sistema. Adotar este jeito de gerenciar estes dados facilita muito a vida de quem está fazendo este controle e auxiliará bastante também na hora de decidir a remuneração final de cada um.

Quais as vantagens deste tipo de remuneração?

A remuneração variável é benéfica tanto para a empresa quanto para o profissional. No final de tudo, todos estão engajados em um objetivo que é único: o sucesso e desempenho da empresa.

E, como um depende do outro, é fácil compreender a relação que se estabelece e também a vinculação entre crescimento da empresa e desenvolvimento profissional do colaborador. Confira as vantagens:

  • Estimula a produtividade do funcionário
  • Permite ao gestor conhecer mais sobre cada colaborador
  • Reforça os valores da empresa no mercado e junto à equipe de trabalho
  • Estimulando a participação do funcionário nos lucros da empresa, a remuneração variável estimula também a boa atuação dele
  • Ajuda a desenvolver e reforçar potencialidades, antes adormecidas
  • Reforça a busca constante pela qualidade do serviço ofertado
  • Valoriza a relação do vendedor com o cliente
  • Ajuda a reter os grandes talentos da empresa
  • Mantém a equipe motivada mesmo depois de muito tempo de atuação
  • Aumenta a competitividade da empresa por ter em mãos um grupo assíduo e focado de profissionais

Qual a importância da remuneração variável?

A remuneração variável possui diversas vantagens como mencionamos acima. Para a empresa ela é uma maneira de estimular o esforço e o ganho por mérito de cada profissional, de acordo com o nível de exigência de cada cargo.

É uma busca constante pelo serviço aprimorado, bem realizado e tudo isso através do bom desempenho do profissional atuante.

Além disso, através do monitoramento do fator desempenho, é possível descobrir e valorizar aquele profissional que se destaca. Premiá-lo é uma maneira de retê-lo na empresa e reduzir custos com novas aquisições.

A remuneração variável é uma técnica eficiente de motivar o funcionário. Sem motivação e estímulo é difícil para cada profissional desempenhar as suas atividades corretamente.

Esta carência afeta diretamente o futuro e o crescimento da empresa. Afinal de contas, a equipe de colaboradores faz parte deste trabalho, deste processo. Ela precisa estar a par disso e reconhecer a sua importância.

Ainda falando em empresa, a remuneração variável impede que muitos profissionais atuantes, qualificados e compromissados com a empresa resolvam se aventurar em outros lugares.

Todos nós sabemos que o índice de rotatividade de profissionais é muito grande em todas as empresas, sejam elas pequenas, médias ou grandes. Reter este pessoal é possível através desta forma de incentivo.

Para o colaborador, esta política de incentivo é uma forma de colocar para a fora o que ele tem de melhor em produtividade, desenvolvimento ou aperfeiçoamento de habilidades e conhecimentos etc.

A remuneração variável é um tipo de pagamento previsto em lei e que está ganhando muitos adeptos ao longo do tempo. Empresas de nichos diversos vêm tentando incorporar esta estratégia no seu rol de gestão de pessoas em busca de maior produtividade e mais empenho na atividade exercida.

Como pudemos observar, a remuneração variável traz benefícios tanto para a empresa quanto para o empregado e todas as regras do procedimento devem ser compartilhadas com as partes interessadas.

Remuneração variável: o que é, como fazer e calcular?
5 (100%) 55 votes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *