Tendências para o varejo em 2018: 7 previsões incríveis!

22/02/2018
Por cbbr
Tendências para o varejo em 2018: 7 previsões incríveis!
Avalie este artigo

As tendências para o varejo em 2018 mal começaram e já existem algumas que podemos observar para que você possa ficar por dentro da maioria dessas novidades.

Obviamente, a crise no mercado pode parecer algo ameaçador para os investidores mais incautos, mas saiba que, quem possui uma loja online só tem a ganhar com o crescimento cada vez maior do e-commerce.

Por isso, nada de pânico: ainda há muito mercado a ser explorado, e ao que tudo indica a tendência é de uma crescente melhora para os próximos anos. Torcendo para que isso aconteça, separamos algumas das tendências do varejo em 2018 para que você possa começar a ter ideias.

Quer saber quais são essas tendências? Então continue a ler este artigo e descubra mais sobre. Essas podem ser as informações que o seu negócio precisa para estar mais conectado com as tendências do mercado. Vamos nessa?

Tendências para o varejo em 2018: desfazendo mitos

tendências para o varejo em 2018

Antes que comecemos a falar sobre as tendências para o varejo em 2018, precisamos fazer com que você entenda que esse “fim” tão proclamado para o varejo é infundado.

A começar por alguns dados coletados de quem mais entende do assunto, o Shopify:

Alguns empreendedores e especialistas do mercado de finanças mostram que esse fim para o varejo é uma prova para os varejistas se adequarem aos novos tempos.

Por exemplo, hoje em dia é muito raro encontrar uma loja de varejo, seja ela de que tamanho for que não possua um e-commerce ou mesmo uma loja virtual.

Uma das maiores do mercado, a Walmart, por exemplo, registrou um crescimento histórico nos últimos anos.

Assim como o varejo brasileiro, que parece ter acompanhado a tendência, que, também passou por um crescimento significativo – mesmo nesses últimos anos de crise acentuada.

Assim, é importante ter em mente que o perfil do seu cliente está sempre mudando – e o varejista precisa estar sempre apto a se adaptar a este ritmo e estando em papel de constante atendimento a essas demandas.

Assim, os empreendedores de uma maneira geral precisam estar sempre atentos para saber identificar quais são as tendências que podem ter sucesso nas estratégias de lojas.

A primeira coisa que deve acontecer é não acreditar tanto nessas proclamações de morte do varejo que vêm sendo alardeada desde os primórdios da internet – e que ganharam força com os últimos anos graças a crise.

O que está acontecendo de verdade, agora, é uma mudança no panorama do que conhecemos do mercado.

Varejistas não podem mais se dar ao luxo de depender única e exclusivamente das lojas físicas, além de ter em mente que o cliente é muito mais que números.

Isso reflete diretamente nas vendas, já que as pequenas lojas virtuais ganham seus clientes com uma abordagem mais pessoal, que é o seu grande diferencial no final das contas.

Outros números

O e-commerce apresentou crescimento significativo ao longo de todo o ano passado. Mesmo com a crise em seu auge, o meio cresceu cerca de 12% e tem previsão de crescimento de 15% em 2018.

Assim, não há como lutar contra a maré: o melhor a se fazer nestes tempos é adaptar-se às tendências do setor e mudar algumas posturas típicas do varejo.

Por isso, esteja sempre atento ao que especialistas falam em jornais e em sites especializados. Essa é, em resumo, a melhor maneira de estar sempre à frente do seu tempo e assumir novas posturas.

Assim, cumpriremos com o nosso papel de oferecer um conteúdo relevante e importante para você. Como dissemos no título deste artigo, separamos aqui 7 tendências para o varejo em 2018.

Quer saber quais são? Siga em frente e descubra mais sobre.

7 previsões para 2018 no varejo

contrato

1. Tendências para o varejo em 2018: Comunidade

Se existe algo que precisa ser fortalecido neste ano é a comunidade.

Os empreendedores do varejo precisam perceber que estão perdendo um espaço que há muito tempo era só deles.

Não há mais uma escassez de produtos no mercado. Aliás a grande questão é que hoje existe uma escassez de interações humanas reais.

Isso porque, como comentamos acima, as pequenas lojas virtuais ganham muitos pontos nesse quesito.

Assim, é preciso saber, por exemplo, que os seus clientes possuem interesses e valores muito parecidos. O passo, então é criar uma comunidade na qual eles podem interagir entre si e compartilhar esses interesses.

Os clientes podem compartilhar suas experiências e opiniões com relação a assuntos relacionados com o seu produto. Assim, a ideia é pensar “localmente” e criar comunidades a partir disso.

O foco é a criação e venda de produtos que reflitam essas comunidades e fazer com que elas sirvam de ponto de sustentação e sucesso dessas lojas.

2. Personalização

Um sucesso que pode ser repetido em 2018 foi a criação de varejos especializados em produtos personalizados e exclusivos que trabalhem quase exclusivamente com assinaturas.

Exemplos de sucesso são a TAG Livros, o Clube do Malte e o Men’s Market – que oferecem produtos para clientes que realizam assinaturas.

O segredo, então, é a criação de um conteúdo realmente personalizado, que tenha em mente as necessidades dos seus principais clientes.

A personalização de produtos é uma ferramenta importante em momentos onde empresas grandes de conteúdo estão sempre aproveitando para recomendar sempre algo novo.

Uma tendência que pode alterar radicalmente as bases do varejo e a impressão 3D, que garante a criação em massa de produtos que levem a exclusividade em consideração – e que atendam também as demandas únicas de seus clientes.

3. Dados e informações

A personalização de produtos é possível, mas apenas em casos onde o varejista possui dados e informações sobre os seus clientes.

Isso porque a criação de um produto nessas proporções é feita sempre a partir das necessidades únicas e exclusivas do público que consome os seus produtos.

Estes dados são aliados valiosos para varejistas que precisam tomar importantes decisões comerciais.

Por isso esteja sempre em dia com as necessidades do seu negócio de ter informações relevantes acerca dos seus clientes. Isso poderá ser usado de forma positiva para o seu negócio.

E, se a personalização foi sucesso em 2017, a tendência do varejo em 2018 é que ela continue em alta.

4. Tecnologia Analógica

A tecnologia é essencial hoje e não há dúvidas com relação a isso. Mas a “vida real”, que é chamada também de “tecnologia analógica” é importante e não deve ser esquecida.

Isso nada mais é que o conjunto de experiências que ocorrem na vida real e que devem existir como um complemento às experiências ocorridas na realidade virtual.

Então, se para as lojas virtuais isto é importante, imagine o impacto que isto tem sobre o varejo – tendo, assim um impacto grande nas estratégias de marketing e nas plataformas e varejo.

Apesar, por exemplo, da era digital ter alterado radicalmente o modo como as pessoas pesquisam preços e produtos, a experiência física ainda é a responsável pela grande maioria das vendas.

Por isso, ter total controle sobre a tecnologia analógica e virtual significa domínio sobre conceitos totalmente opostos – mas que ainda assim se complementam.

5. Vendas diretas

As vendas diretas também são parte importante do que será tendência para o varejo em 2018.

Isso mesmo, em tempos de internet, a venda realizada diretamente entre a marca e o cliente final pode ser uma tendência para 2018.

Este pode ser o momento em que vejamos marcas encerrando parcerias com grandes lojas para que possam vender diretamente os seus produtos para os clientes finais.

As razões são muitas, mas a que mais pesa é a influência que algumas lojas podem ter, de um modo negativo, sobre a identidade da marca.

A sobrevivência, então é garantida através de uma experiência única para o cliente – ao mesmo tempo que as empresas estão percebendo a cada vez menor necessidade de um intermediário para a venda de seus produtos.

O lucro é maior e, ainda por cima, a experiência de compra fica sendo de total responsabilidade da marca junto a seu cliente.

6. Experiência de compra em lojas físicas

Ao mesmo tempo que lojas físicas devem ter o seu espaço virtual, levar a sua loja virtual para um espaço físico também pode ter um efeito positivo.

As lojas físicas de uma marca ou loja virtual popular estão entre as grandes promessas de bons negócios para o varejo em 2018.

Lojas que possuem uma forte identidade visual se aproveitam muito bem desta tendência e são sucesso certeiro para os fãs das redes sociais. O uso contínuo de hashtags e fotos promocionais podem se relacionar com a loja de uma maneira muito original.

Assim, o importante é que a loja não ofereça apenas produtos, mas também experiências. Quanto maior for o número de boas lembranças, maior será o sucesso.

Apesar de parecer algo fantástico (no sentido mais puro da palavra), ainda mais quando levamos em consideração um mundo que está cada vez mais sendo conquistado pela tecnologia.

Mas em se tratando de experiência física de compra, o melhor a se aplicar é concentrar os esforços no mundo real e construir uma comunidade realmente fiel e conhecida de clientes.

7. Colaborações e parcerias

As parcerias de sucesso formaram boa parte dos bons negócios de 2017 – e em 2018 não será diferente.

A união de marcas que muitas vezes são distintas ou de setores diferentes (às vezes até mesmo opostas) se provou ser um sucesso certo nas redes sociais.

Assim, é possível ver o sucesso de empresas como a Farm que percebeu o potencial das parcerias e criou produtos que têm a sua identidade – por exemplo a marca fechou parcerias de sucesso com marcas como Jansport, Havaianas e Adidas.

Conclusão

O sucesso do varejo em 2018 depende muito de previsões?

Claro que depende, mas a maior parte das inovações provocadas pelo próprio mercado surgiu de ideias e a falta e medo em arriscar em iniciativas feitas por outros varejistas.

Uma das maiores mudanças atuais do mercado de varejo é a alternância constante entre a loja física e virtual.

Mas, se há uma boa administração, essa mudança pode ser uma oportunidade que pode garantir muitos pontos extras para os varejistas.

Uma coisa é certa, seja experiência física ou virtual: proporcionar as experiências que o seu cliente espera na vida real é a melhor forma de garantir um cliente que sempre volta.

Uma loja rica em produtos é algo incrível, mas a experiência que se pode obter nela é algo que não tem parâmetros de comparação – a quem mais interessa, claro, os seus clientes.

A mudança no papel do cliente que hoje é quem dita as regras do mercado é uma boa forma de ter um maior sucesso em suas estratégias.

A fidelização dos seus clientes e o fator surpresa para o seu negócio é a melhor maneira de se ter sucesso dentro do varejo.

Assim, seja qual for a novidade ou tendência que surja dentro do meio (que vai continuar enquanto houver renovação), levando essas dicas em consideração, você poderá estar preparado para o varejo em 2018.

E aí, gostou do artigo acima? Que tal deixar um comentário abaixo? Não esqueça de compartilhar em suas redes sociais e marcar seus amigos. Fique de olho em mais novidades e até a próxima!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *