Como funcionam os códigos de barras para livros ISBN?

25/10/2016
Por cbbr
código de barras ISBN
Como funcionam os códigos de barras para livros ISBN?
Avalie este artigo

Os códigos de barras para livros servem para facilitar a vida das pessoas, possibilitando que várias operações do dia a dia como compras, pagamento de contas, viagens, verificação de preços de produtos, pesquisas, controle de estoque, logística e muitas outras ações imagináveis aconteçam de forma prática, segura, facilitada, rápida e também com mais segurança.

Os códigos de barra podem ter as mais diversas funções, dependendo do tipo de código utilizado. O que vai determinar o tipo de código utilizado vai ser a necessidade do produto codificado. Assim, para simplificar: determinados tipos de produtos requerem determinados tipos de códigos que apresentam determinados tipos de funções.

A maioria dos produtos individuais adota o EAN-13 ou o UPC-A como códigos, mas alguns produtos como revistas e outras publicações periódicas, bem como os livros, apresentam um tipo de codificação diferenciada. Como explicado anteriormente, o código nesse caso terá informações específicas referentes a esse tipo de produto.

Esse artigo se propõe a falar sobre os códigos de barras aplicados aos livros, esclarecendo que tipo de código de barras é utilizado nesse caso, como eles funcionam, quais as vantagens e também aonde você pode obtê-los.

Qual o tipo de códigos de barras para livros?

O tipo de código de barras utilizado em livros é o ISBN, ou “International Standart Book Numbers”. Ele foi criado em 1967 nos Estados Unidos e oficializado como norma internacional em 1972, sendo regulamentado pela ISO. Ele é utilizado até hoje como um sistema que identifica os livros numericamente segundo o título, o autor, o país e a editora. Essa identificação permite a individualização da publicação, inclusive entre múltiplas edições.

Esse código surgiu para suprir a necessidade de um sistema eficiente automatizado que fosse capaz de identificar cada livro com um número único e universal, a fim de agilizar os processos referentes a catalogação e comercialização desse tipo de produto.

Como funciona o código de barras aplicado nos livros?

Até o final de 2006, o ISBN era composto por 10 dígitos, como você pode observar nos livros publicados até essa data. No entanto, com o aumento do número de publicações se tornou necessário aumentar a capacidade do sistema. Assim, desde 2007 o ISBN é composto de 13 dígitos. Essa alteração afeta a todos os usuários do sistema, como editores, livrarias, bibliotecas, etc. Atualmente um livro para ser comercializado precisa apresentar os 13 dígitos. Para essa finalidade foi realizada uma conversão dos livros que tinham os 10 dígitos.

Os códigos de barras para livros identificam as informações pertinentes à obra, de maneira organizada na seguinte ordem:

Identificador do código: o primeiro dado que aparece consiste nas iniciais ISBN, referentes ao código utilizado na publicação.

Identificador do produto do livro: com a mudança em 2007, passa-se a usar o número 978, que identifica o produto livro.

Identificador de grupo, país ou área idiomática:  um conjunto de dois números, que até 2006 eram a primeira sequência. Cada grupo, país ou área idiomática recebe um código próprio atribuído pela Agência Internacional do ISBN. No Brasil, por exemplo, esse número é o 85.

Identificador do editor: essa sequência de três números indica exatamente qual a editora da obra e seu endereço. Quem atribui esse número é a Agência ISBN do país onde a obra é publicada.

Identificador de título: se trata de um conjunto de quatro números que identifica a edição específica de uma publicação de uma editora específica.

Dígito verificador: ele pode ir de 0 a 9 ou, se for o número 10, é representado por um X. Esse dígito, que fecha a sequência numérica do ISBN, é obtido por meio de um cálculo aplicado em cima dos números anteriores, e indica se o código utilizado naquela obra é válido ou não.

Para fins de visualização, o código ISBN seria assim: ISBN 978 – 00 – 000 – 0000 – 0.

O uso do dígito verificador no ISBN possibilita o uso do EAN-13, permitindo a comercialização das obras. Para saber mais sobre como funciona esse tipo de código, revise o conteúdo a respeito do EAN-13.

Esse código é lido por um scanner, o mesmo tipo de scanner que é capaz de ler o EAN-13. Assim é possível ter acesso ao banco de dados referentes à publicação, que fica no computador.

Quais as vantagens de se utilizar códigos de barras para livros?

Antes de mais nada, é preciso esclarecer que o uso desse código para publicações monográficas a serem editadas (dentro das normas do ISBN) é obrigatório. Quem determina isso é a Lei do Livro Nº 10.573.

Esse sistema é bastante versátil. Também é ele que torna a identificação da sua obra única e intransferível, mesmo entre várias edições. O ISBN permite a interconexão entre os arquivos, a recuperação e transmissão de dados em sistemas automatizados, simplifica a busca, a atualização bibliográfica, a catalogação e a venda das obras. Por ser um sistema reconhecido internacionalmente, ele influencia de forma positiva na troca cultural entre os povos por meio dos conteúdos publicados.

Onde posso conseguir códigos de barras para livros?

O sistema ISBN é controlado pela Agência Internacional do ISBN, com sede em Berlim, que é responsável por orientar e delegar poderes às agências nacionais. No Brasil, quem representa a Agência Brasileira é a Fundação Biblioteca Nacional. Desde 1978, a Biblioteca Nacional tem a função de atribuir o número de identificação aos livros editados no país.

Todas as informações referentes ao código ISBN podem ser encontradas no site da Fundação, e é somente por meio do site que o acesso e o cadastro ao sistema ISBN é possível.

Caso você tenha interesse em produzir um ISBN para uso pessoal, com o objetivo de catalogar e organizar os livros de sua biblioteca, existe a possibilidade de gerar o seu próprio código com o uso de sites na internet, e imprimi-los em casa mesmo. Mas atenção: isso só vale para uso pessoal. Códigos que são gerados por outro local, que não a agência responsável, não são válidos para a comercialização e para o uso em locais oficiais.

2 pontos de vista sobre "Como funcionam os códigos de barras para livros ISBN?"

  1. Gostaria de saber se é necessário o registro da obra. Não tenho registro, mas gostaria de ter o código de barras ISBN. Será possível isso acontecer?
    Ficaria satisfeito com vossa resosta.

  2. Roberto disse:

    Clóvis, ao pedir o ISBN na Biblioteca Nacional, automaticamente o livro é registrado. Não são ações separadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *