O Que é RFID: Para Que Serve e Como Usar Nos Produtos

21/06/2019
Por cbbr
RFID

RFID vem do termo em inglês Radio Frequency Identification que significa Identificação por Radiofrequência. Esta tecnologia funciona como um sistema de captura de dados realizado através de um sinal de radiofrequência. Para funcionar é necessária uma estrutura básica contendo uma antena e um microchip. Sendo que, a antena permite a captura do sinal com as informações e o microchip é responsável pelo armazenamento de dados.

Quem procura automação na área de logística precisa conhecer as etiquetas RFID, correto? Isso porque elas são ótimas para melhorar diversos aspectos que são bastante fundamentais para qualquer operação!

As etiquetas RFID simplificam todo o controle e identificação dos produtos que entram e saem do estoque. Elas são uma ótima alternativa à utilização dos tradicionais códigos de barras.

Através da tecnologia RFID sua empresa pode acompanhar mais de um item por vez. Ela também é super vantajosa, pois possibilita leituras mesmo de mercadorias mais distantes.

Dessa forma, as etiquetas RFID contribuem para a melhoria de sua administração e gestão logística. Assim, elas proporcionam um gerenciamento excelente!

No entanto, é antes de optar por estas etiquetas é imprescindível verificar e seguir as etapas que vamos apresentar no final deste artigo. Pois, a tecnologia RFID ainda apresenta alto custo que pode ser prejudicial para a sua empresa.

Então, não deixe de conferir agora mesmo todas as informações que selecionamos para que sua empresa possa utilizar as etiquetas RFID. Aqui, você vai encontrar o que é, para que serve, como usar e como escolher esta nova tecnologia para os seus produtos! Aproveite!

O Que é RFID?

A tecnologia RFID como método de identificação possibilita que o produto seja identificado através da informação em seu microchip. Assim, cada mercadoria possui um identificador único facilmente alcançável através da radiofrequência. Tanto a antena quanto o microchip possuem uma proteção conhecida como transponder, também chamado de tag. Esta proteção pode ser encontrada em diversos formatos. Ela é composta por um material de silicone ou plástico.

Apesar de existir há bastante tempo, a tecnologia RFID passou a ser utilizada como dispositivo de rastreamento e identificação recentemente. E, desde então, vem contribuindo muito para todos os processos da cadeia de suprimentos.

Ela possibilita um controle de mercadorias mais preciso e rápido do que o controle por código de barras usuais. Entenda a seguir as principais diferenças entre os dois tipos de etiquetas.

Principais Diferenças Entre as Etiquetas RFID e o Código de Barras

Para ajudá-lo a entender melhor o que é RFID vamos abordar aqui quais são as principais diferenças entre as etiquetas RFID e o código de barras tradicional.

Apesar de ambas as etiquetas serem utilizadas na automação de controle de estoque e cadeia de suprimentos é importante saber que elas possuem diferenças muito grandes entre si.

O código de barras pode ser impresso em uma etiqueta ou embalagem. Já as etiquetas RFID possuem o seu código gravado diretamente no seu microchip. No código de barras a leitura é feita por um feixe de luz e no RFID é feita por radiofrequência.

A leitura do código de barras precisa ser feita com um leitor apontado para a superfície em que o código se encontra. No caso das etiquetas RFID, a leitura pode ser feita até mesmo sem contato com o objeto.

Sendo assim, para o código de barras ser lido é necessário que o leitor esteja em contato com o produto e a leitura precisa ser efetuada a uma curta distância. Esta leitura é feita com baixa velocidade.

Em compensação, a etiqueta RFID possibilita a leitura de várias etiquetas ao mesmo tempo e com maior distância e velocidade do que a leitura do código de barras. Dessa forma, a produtividade de sua empresa aumentará com a utilização da tecnologia RFID.

Além disso, o tempo de vida útil das etiquetas RFID é bem maior do que o tempo de vida útil do código de barras. Isso ocorre porque as etiquetas em que são impressos os códigos de barras podem se desgastar facilmente e ficarem ilegíveis.

História do RFID

A tecnologia RFID tem sua origem na descoberta feita pelo físico escocês Sir Robert Alexander Watson-Watt. Ele fez sua descoberta ao observar radares utilizados pelos EUA, Alemanha, Japão e Inglaterra, durante a Segunda Guerra Mundial.

Este sistema de radares funcionava por rádio frequência e serviam para a identificação das aeronaves.

Os alemães da Segunda Guerra Mundial pediam para que os pilotos que estavam retornando para a base girassem suas aeronaves, assim, o sinal de rádio refletido de volta ao radar era modificado. Dessa forma, eles sabiam que era uma aeronave alemã.

A descoberta feita por Sir Robert Alexander Watson-Watt originou um identificador que possibilitava saber se a aeronave era amiga ou inimiga. O primeiro identificador chamava IFF ou, Identify Friend or Foe, que significa, em português, Identificador de Amigo ou Inimigo.

Para que a identificação fosse possível era inserido um transmissor em cada aeronave. Este transmissor detectava sinais de rádio através de estações de radar que estavam em solo. Assim, elas recebiam sinais de resposta que identificavam a aeronave como amiga.

Posteriormente, nas décadas de 1950 e 1960, cientistas japoneses, americanos e europeus começaram a utilizar a radiofrequência para fazer a identificação de produtos. E, nesta época, surgiram também as etiquetas de vigilância eletrônica.

Até que na década de 1980 o MIT, Massachusetts Institute of Technology, começou um estudo para a utilização das ondas de rádio em tecnologias que possibilitassem a localização e rastreamento de produtos.

Graças a estes estudos desenvolvidos pelo MIT, surgiu a EPC, Eletronic Product Code, em português, Código Eletrônico de Produtos. Assim, foi criado uma arquitetura padrão que utilizava os sinais de radiofrequência na identificação de produtos.

Como Funcionam as Etiquetas RFID?

como funciona RFID

Assim como os radares das aeronaves da Segunda Guerra Mundial, a tecnologia presente nas etiquetas RFID tem um princípio que consiste no envio do sinal de rádio a um transponder que reflete as ondas de volta como sinal passivo ou sinal próprio, ou seja, ativo.

As etiquetas RFID são consideradas tags inteligentes, pois são eletrônicas e possuem um microchip instalado.

Elas são colocadas nos produtos e possibilitam que eles sejam rastreados por ondas de rádio que se comunicam com uma antena de carbono ou resistência de metal.

Dessa forma, o microchip e a antena trocam informações com um sistema através das EPC ou, Código Eletrônico do Produto.

No entanto, a tecnologia RFID não se refere apenas ao sistema que utiliza microchip, mas também, há qualquer sistema que usa radiofrequência como forma de identificação.

Para Que Serve a Tecnologia RFID?

Agora que você já sabe o que é e como funciona a tecnologia RFID é extremamente importante entender como ela pode ser utilizada em sua empresa!

Esta tecnologia serve para inovação e melhoria de diversos segmentos industriais, operações logísticas, entre outros. Uma de suas vantagens, é que ela contribui para gerenciamento e controle de produtos, evitando que eles sejam perdidos e roubados.

As etiquetas RFID auxiliam no aumento da produtividade, uma vez que otimizam a gestão de inventários e cadeia de suprimentos. Elas possibilitam até mesmo a leitura das etiquetas de materiais que estão movimentando-se em esteiras e checkpoints.

Estas leituras são fundamentais para a armazenagem em estoque ou para a distribuição dos produtos. E, ao possibilitar as leituras de produtos em movimento, as etiquetas RFID acabam sendo mais vantajosas do que o código de barras.

Além disso, elas também podem utilizadas para:

  • Reduzir a perda de vendas
  • Prevenir roubos e falsificações em produtos
  • Maior número de informações e rastreamento total de produtos
  • Leitura rápida sem necessidade de interação humana
  • Gestão de estoque em tempo real
  • Estoque mais preciso
  • Realização de demanda automatizada
  • Leitura de diversos produtos ao mesmo tempo
  • Maior capacidade de leitura mesmo em longas distâncias
  • Melhor gerenciamento da cadeia de suprimentos
  • Maior eficácia na cadeia de abastecimento
  • Reduzir custos com etiquetas devido à sua alta durabilidade e reutilização
  • Processo de expedição mais rápido
  • Melhor atendimento aos consumidores

Tipos de Etiquetas RFID e Como Utilizá-las Nos Seus Produtos

As etiquetas RFID podem ser encontradas em três tipos: passiva, semipassiva e ativa. Os tamanhos e custos são bastante diversificados, assim como, suas formas de utilização. Saiba mais abaixo!

Etiqueta Passiva

Esta opção de etiqueta RFID é ideal para quem procura baixo custo e simplicidade. As etiquetas passivas são bastante comuns. A alimentação de seu circuito é feita através de ondas eletromagnéticas que são emitidas pela antena do leitor.

Dessa forma, como não iniciam comunicação por conta própria, são recomendadas para a identificação de produtos a uma curta distância.

Etiqueta Semipassiva

A etiqueta semipassiva é intermediária entre a etiqueta passiva e a ativa. Ela possui uma bateria, porém, ela serve apenas para fazer a alimentação dos circuitos internos e não serve para enviar um novo sinal de rádio para os leitores.

Então, apesar de possuir um identificador ativo, para se comunicar a etiqueta semipassiva depende do sinal do leitor.

Etiqueta Ativa

Ao contrário das outras etiquetas RFID a etiqueta ativa utiliza sua fonte de energia não só para alimentar seu circuito, mas também, para realizar troca de informações. Dessa forma, ela possibilita a realização de tarefas com níveis maiores de complexidade.

Ela também possui maior capacidade de armazenamento de dados e permite a utilização de componentes externos como outros dispositivos similares e sensores. A etiqueta ativa tem o custo mais elevado e maior tamanho.

Para quem possui uma pequena empresa a utilização da tecnologia RFID pode ser feita com a ajuda de um aplicativo instalado no celular e um leitor de etiqueta.

Como Utilizar a Tecnologia RFID em Seus Produtos

Para utilizar a tecnologia RFID em seus produtos é necessário escolher o tipo de etiqueta ideal para os seus produtos, adquirir os equipamentos, assim como, instalar e implementar o software para que a tecnologia funcione adequadamente.

Além das etiquetas os outros equipamentos disponíveis para fazer a tecnologia funcionar são impressoras, leitores, antenas e coletores. O software que precisa ser integrado e customizado é o Middleware.

Para começar é necessário fazer a instalação e implantação da tecnologia. Assim, em seguida é possível começar a fazer o gerenciamento dos processos.

Como Escolher a Etiqueta RFID Ideal Para a Sua Empresa

tipos de RFID

Como vimos existem muitas vantagens na utilização da etiqueta RFID em seus produtos. Elas podem agilizar diversas etapas logísticas e melhorar o serviço oferecido aos consumidores.

Sendo assim, se você se interessou e pretende utilizar as etiquetas RFID, veja um passo a passo que preparamos para ajudá-lo a escolher a etiqueta ideal para a sua empresa!

Analise os Custos

Apesar de apresentar muitas vantagens, a tecnologia RFID ainda possui o preço mais elevado do que outras alternativas. Portanto, analise os custos para implementá-la e veja se sua empresa comporta estes gastos.

Confirme se a Aplicação é Possível

Antes de escolher uma etiqueta compatível com seu modelo de negócio, procure confirmar se a aplicação da etiqueta RFID é possível. Definir a aplicabilidade é fundamental, pois existem alguns materiais como o metal que impossibilitam o bom funcionamento do sistema.

Analise Seu Modelo de Negócio

Procure definir qual o seu modelo de negócio e as necessidades de sua operação. Assim, você vai saber quais são os tipos de otimizações que necessita e qual é o tipo de etiqueta RFID que apresenta mais vantagens para a sua empresa.

Defina a Melhor Forma de Utilização

Após identificar qual etiqueta é mais adequada para o seu modelo de negócio, veja se você precisará fazer adaptações para implementá-las e qual é a melhor forma de aplicação das etiquetas em seus produtos. Assim, é possível evitar surpresas desagradáveis.

Saiba Qual o Modo de Leitura Necessário

Outro ponto que não pode ser esquecido é a identificação do modo de leitura que será necessário para a sua empresa. Ao possuir esta informação é mais fácil que os processos sejam eficazes e ágeis.

Realize Testes

Por fim, é primordial realizar testes para acompanhar o funcionamento da tecnologia RFID em sua empresa. Dessa forma, é possível saber se a implementação das etiquetas RFID vão beneficiar ou prejudicar as suas operações.

O Que é RFID: Para Que Serve e Como Usar Nos Produtos
5 (100%) 1 vote[s]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *